WOMAN CRUSH WEDNESDAY: TAVI GEVINSON

0 Comment

A norte-americana Tavi Gevinson ficou conhecida como uma das blogueiras de moda mais jovens do mundo. Com apenas 11 anos, criou o blog Style Rookie, onde postava seus próprios looks e suas opiniões sobre as últimas notícias do mundo da moda. Conquistou a todos devido ao seu estilo com referências inteligentes e ideias transgressoras. Aos 12, se tornou ícone de estilo, já aos 15, ia assistir aos desfiles renomados da NYFW na primeira fila.

Sendo admirada Karl Largefeld e Anna Wintour, seu estilo era basicamente: meias 7/8,  xadrez, boinas, e os famosos sapatos oxfords e óculos retrô que faziam parte de seu figurino. Com um grande destaque, é claro, para seu cabelo cinza, bastante incomum na época. Tavi tinha grande influência no mundo da moda: tudo que ela postava em seu blog era tratado com muita seriedade por jornalistas e estilistas, e era bastante crítica quanto ao que era apresentado nas semanas de moda, seu lugar, como já havia comentado, era na primeira fila dos desfiles.

A garota alcançou fama, prestígio e glamour, porém desistiu do mundo da moda no momento em que se decepcionou com o que via nos bastidores: percebeu que o mercado da alta costura e das grifes renomadas incentivavam que meninas de sua idade tivessem uma forma física praticamente inalcançável, com a idealização de um manequim PPP. Várias fãs procuraram-na para contar sobre seus dramas na corrida pelo peso ideal.

Tavi sentia falta de ver uma revista feminina adolescente que tivesse uma linguagem adequada, que tratasse dos assuntos de maneira mais verdadeira. E foi assim que a garota criou o Rookie, um site voltado para o público adolescente que incentiva jovens a se aceitarem como elas realmente são. É lá que Tavi expõe seu olhar sobre as questões de igualdade de gêneros e beleza real. Ela, feminista assumida, fala muito do assunto na revista e ajuda milhares de adolescentes a lidarem com dilemas e com o bullying, trabalhando para que as mulheres se aceitem como realmente são, sem os padrões impossíveis mostrados nas passarelas.

“Eu acho que as pessoas evitam o termo [feminismo] e preferem se chamar de humanistas porque acham que o feminismo é só sobre as mulheres, mas, para mim, é muito sobre quebrar as construções sociais e as ideias limitadas sobre o gênero, que oprimem a todos nós”, pontuou Tavi para a revista Vogue.

Hoje com 21 anos, Tavi é escritora, já atuou no cinema e no teatro, estudou o feminismo e as inseguranças adolescentes, além de se tornar porta voz do movimento Makers, que é voltado a iniciativas transformadoras para os menos favorecidos, e ser escolhida uma das pessoas mais influentes da mídia com menos de 30 anos. Com muito orgulho de ser feminista e debater sobre o assunto, ela não se rotula nem se define. É informada sobre política e seu estilo continua repleto de personalidade, conteúdo e informação.

0 Comentários

Deixar Comentário